Artigos


29/07/2009
SÍNDROME DO VESTIBULAR EM GATOS
Dra. RACHEL BORGES RIBEIRO


Essa síndrome pode acometer gatos em qualquer idade, não há relação com sexo nem raça. Origina-se na disfunção dos receptores vestibulares periféricos no ouvido interno. Dificilmente esta patologia acomete os dois condutos auditivos. Para ser concretizado o diagnóstico precisam ser avaliados os sinais clínicos do animal como: alterações de conduto auditivo - otite externa, média ou interna ; sarna de ouvido, pólipos, neoplasias, entre outros. Deve-se analisar quando o felino possui qualquer distúrbio endócrino e questionar ao proprietário se o felino teve alguma queda ou tratamento farmacológico recente. O animal pode apresentar ataxia - quando fazem posição variada ao caminhar sem coordenação balançando a cabeça ; inclinação da cabeça de modo que uma orelha seja mais baixa do que a outra - isto ocorre pela perda da sensibilidade do músculo antigravitante lateral da garganta ; executa movimentos circulares; estrabismo - onde ocorre posição anormal dos globos oculares e nistagmo - movimento inadequado do rítmo dos globos oculares.

Os sinais clínicos não progridem e os laboratorias normalmente apresentam apenas leve desvio à esqueda, relacionados à processos inflamatórios. Alguns felinos apresentam ainda vômito, queda de pêlo, dificuldade de posicionamento dos membros, anorexia e nestes casos aconselha-se ao proprietário internação durante as primeiras setenta e duas horas de tratamento.

Quando a síndrome do vestibular é diagnosticada adequadamento por um Médico Veterinário em tempo hábil, há diminuição e até afastamento total da lesão. Após conclusão com o diagnóstico clínico e com radiografia de face e crânio, deve-se utilizar como tratamento inicial, o afastamento do gato para local tranquilo sem estimulação de outros animais nem forte iluminação. Há necessidade da utilização de antieméticos e antivertiginosos, em algumas situações , administração de medicação antinflamatória. O prognóstico para recuperação é ótimo . O animal volta as atividades normais após um periodo de 30 a 60 dias porém alguns felinos podem ainda ficar com alteração residual de inclinação de cabeça e a ocorrência de recidivas ao longo do tempo.
====================================
Visite a Clínica PET ART da Dra. Rachel Borges na Rua Cesário Alvim, 3 - loja A -Humaitá/RJ - Tels.: 2527-1646/3217-1646


Comente este artigo Enviar este artigo por e-mail Imprimir este artigo Voltar para a página de artigos



Mais Artigos